sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Sobre as moscas.

Se há animal que me chateia e irrita (excluindo desde já algumas espécies humanas que conheço) é as moscas. Ainda no outro dia, andava aqui por casa uma mosca irritante que me chateou a cabeça enquanto eu estava a tentar trabalhar no pc. 
Toca a sacudir e nada. 
Nunca a apanhei. 
Roguei-lhe umas quantas pragas, misturadas com outras tantas asneiras e nada. 
Ela ganhou a batalha. Chateou-me até eu abandonar o local e ir arejar para a cozinha à espera que ela saísse pela janela que entretanto abri para ver se a estúpida escapava por lá. 

Odeio moscas. Era só isso que tinha para vos contar hoje. 

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Onde anda a minha sanidade mental?

Não sei se é da gravidez. Ou se é mesmo da minha cabeça que já teve melhores dias, mas sinto que volta e meio, o meu tico e o teco entram em conflito e dá curto circuito.
Semana passada, no trabalho, fui fazer o meu chichi e eis que já vou a meio do processo, quando percebo que a sanita estava com a tampa fechada (estão a ver o resultado, não estão?!) p.s. em minha defesa devo dizer que nunca me sento nas sanitas fora de casa e portanto faço "chichi" a partir do primeiro andar, como costumo dizer. Portanto, acredito que se alapasse o rabo na tampa da sanita ia perceber que havia ali qualquer coisa a faltar, tal como levantar a tampa da sanitinha. 
No sábado fui trabalhar e passado pouco tempo de lá estar, dou por mim a sentir-me um bocado fraca e com muita fome. Rebobinei a memória e lembro-me de, em casa, ter posto a caneca com leite no micro ondas para aquecer mas depois não me lembro de mais nada. Quando cheguei a casa, fui confirmar e lá estava a caneca com leite dentro do micro ondas. Resultado: esqueci-me de tomar o pequeno almoço antes de sair de casa. 

Esperemos que os episódios tristes da minha cabeça fiquem por aqui.  

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Dar ou não prendas às educadoras dos nossos filhos: eis a questão.

Por aqui, estamos num dilema: 
damos ou não presentes, no Natal, à educadora e à auxiliar que está 
com a nossa filha na escolinha? 

O homem cá de casa não é muito a favor. Eu acho que, na época natalícia, receber um miminho é sempre bom. Falando por mim, onde trabalho, poucos são os miúdos que nos oferecem algo no Natal, mas quando o fazem, sabe sempre bem. 

E por aí, o que acham? 


sábado, 4 de novembro de 2017

50% desconto em brinquedos. Vou desconfiar.

O ano passado fui ao célebre fim de semana dos 50% de desconto em brinquedos no Continente. Foi a primeira vez. E quiçá, a última. 
Até se apanha um grande desconto mas o grande problema que encontrei foi a ausência dos brinquedos mais "in" do momento. O que não faltavam eram brinquedos (alguns com ar de quem já estavam guardados há muito tempo) mas na semana seguinte, vi montes de brinquedos novos que no fim de semana da grande promoção deviam estar, provavelmente, bem guardadinhos nos armazéns. 
Por isso, desta vez, vamos aguardar. 
A miúda ainda não fez nenhum pedido especial para o Pai Natal. Aliás, estou a mentir: na verdade, tudo o que ela tem visto de publicidade na TV (e já se nota bem que o Natal está a chegar), ela quer. "Mãe, quero isto", "Pai, quero aquilo". Se fosse a anotar todos os pedidos feitos até agora, já tinha esgotado um caderno inteiro A5. Assim sendo, cá em casa, o pai e a mãe vão pegar no catálogo dos brinquedos e vamos analisar a coisa. Mas com tempo e sem grandes promoções à vista. 

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Como os filhos mudam a nossa forma de ver o Halloween.

O Halloween sempre me passou ao lado. Até este ano. 
No infantário da minha filha vão assinalar esta data e então, foi ver-me à procura de uma roupinha de halloween fofinha para a minha miúda. Confesso que disfarces de bruxa e afins não gosto muito, se pensarmos numa miúda de 3 anos. E dei por mim toda empolgada nesta busca pela roupa ideal para o dia. 
Na Toys'R'Us encontrei o disfarce ideal. 


E por estes dias é ver a minha filha a falar do Halloween como se fosse uma grande festa. Cá em casa já há abóboras e afins. E pronto, é isto que os filhos fazem aos pais. 

terça-feira, 24 de outubro de 2017

É oficial: o Natal está (quase) aí.

O primeiro presente de Natal deste ano já está comprado. 
Sim, a minha pessoa comprou o primeiro presente de Natal em Agosto. Nunca tal coisa me aconteceu, por um simples motivo: já vi noutros anos, naquela altura, coisas giras para a época natalícia mas nenhum talão de troca aguenta até Dezembro. Mas desta vez, foi inevitável: o que vi sabia que a pessoa ia gostar. 
Depois disso, nunca mais pensei em presentes de natal. 
Até que este fim de semana, fui a algumas lojas à procura de coisas para a festinha de Halloween da minha filha na escola e eis que percebo que o Natal já chegou oficialmente a muitos sítios.  

Assim sendo, não tarda nada e estamos a ser invadidos a toda a hora por publicidade a bonecos na tv, as músicas de Natal não tarda nada instalam-se por todo o lado e vai-se a ver, tenho de começar a pensar mesmo em presentes de Natal para este ano. Objetivo traçado desde já: gastar o menos possível.