sexta-feira, 24 de março de 2017

Thanks God, it's Friday.

É sexta feira. 
Amanhã ainda se vai trabalhar mas o aproximar do final da semana deixa-me mais feliz. 
Ando a precisar que o segundo período de aulas (e sobretudo a saga dos testes) acabem rapidamente. Esta semana fiquei 3 dias a dar explicações até às 20horas. Saio de casa às 8h15. Chego às 20h10. 
Ando há duas semanas a fingir que não sou uma panela de pressão, mas lá no fundo acho que há momentos em que só não me salta a tampa, porque... enfim, respiro fundo. 
Mas vá, hoje é sexta feira. E os meus pais até fazem 33 anos de casado hoje.
Vai mudar a hora este fim de semana. 
Na próxima segunda, quando sair às 20horas do trabalho, pode ser que ainda seja de dia. 
Por isso, vamos pensar que amanhã, às 12h30, entro de fim de semana. 
Falta pouco, Pimentinha. Aguenta-te. 


segunda-feira, 20 de março de 2017

E quando a balança até é nossa amiga, que bem que sabe!

Sábado fui à nutricionista. Por norma, as consultas agora são de mês a mês. 
Neste último mês, o que fiz eu de dieta? 
Nada. 
E foi precisamente isso que disse à nutricionista logo no início da consulta para a ir precavendo. 
Na verdade, desde maio do ano passado já passei por várias fases. Ter cuidado com o que comemos é algo que deve estar presente todos os dias nos nossos hábitos. Não sou pessoa de comer muitos doces, fritos é muito raro mas tenho um problema: eu gosto de comer comidinha boa, daquela caseira. E massa e pão são um grande problema: quem me dá massa ou pão quentinho com manteiga dá-me tudo. 
E continuo a não comer de 3 em 3 horas, o que significa que chego a casa, à noite, à hora do jantar, com um buracão no estômago e acabo por comer mais do que devia, sobretudo à noite. 

Pois bem, voltando à consulta, chegou o momento de subir à balança (só me tinha pesado uma vez em casa durante o mês).
57,7 kg. 
Menos 1,200kg desde a última consulta.
Peso mais baixo que atingi desde há uns belos 4 anos. 
Não queria acreditar. 
Posto isto, chego à conclusão: há metabolismos bons. Há uns mais ou menos. E há outros maus. 
Felizmente o meu metabolismo é dos bons, porque considero que este último mês foi dos mais difíceis para mim no que diz respeito a contenção e mesmo assim, 1,200 kg foi à vida. 

domingo, 19 de março de 2017

Os pais de hoje.


Cá em casa, não temos um Pai mas sim um Paizão. Um pai que dá banho à filha, que lhe dá a sopa, que brinca com a filha no terraço, um pai que ajudou (e muito) esta mãe nos primeiros tempos de vida a três cá em casa, um pai que deu tranquilidade à mãe que muita insegurança sentia nos primeiros meses. 
Na verdade, há quase 3 anos que sei que, para além de um marido fantástico, tenho cá em casa um homem que sabe ser pai. Hoje em dia, o papel de mãe não chega para educar uma criança feliz, como muita gente acha. Hoje em dia, um pai presente é tão importante como uma mãe na vida de um filho. E às vezes, penso que a minha filha é uma sortuda por ter um pai assim. Tão dedicado a ela (e a nós). 


quinta-feira, 9 de março de 2017

Aproveitar enquanto o Sol se lembra do norte do país.

Em dias como o de hoje, os minutos parece que passam melhor. 

E por causa de quê? 

Por causa do sol, que é a minha fonte de energia, tal como acontece no Ciclo da Água. 
É o motor para que me sinta mais leve, sobretudo à quinta feira, dia "pesado" no trabalho.
E é em dias como o de hoje, de um quase verão (que não tarda vai-se embora), que sinto falta de ter uma pausa para almoço. Às vezes, sinto que seria bem mais rentável se fizesse uma pausa para almoço de pelo menos uma hora, em que sairia do ambiente de trabalho que me "suga" de manhã até ao final do dia. 
E trabalhando eu a 10 minutos de carro da praia, é em dias como o de hoje, que penso que se tivesse uma pausa de almoço, ia respirar o ar do mar e a tarde até seria bem mais produtiva. 
É em dias como o de hoje, que sinto que não devia apenas tirar 15 minutos para almoçar. 
É em dias como o de hoje, que penso (ainda mais) nas férias de Agosto. 
É em dias como o de hoje, que penso que o S. Pedro não deve gostar das pessoas que trabalham, pois manda este tempo maravilhoso a uma quinta feira e ao fim de semana manda vento e temperaturas bem mais baixas. 
É em dias como o de hoje, que sei que não fui feita para gostar do Inverno, mas sim de sol. 

terça-feira, 7 de março de 2017

Faz-me tão bem pensar em férias. O meu humor agradece.


Já ando a pensar nas férias de Agosto. 
Faz-me bem ao espírito e alegra-me os dias. 
Mas por aqui, ainda estamos muito indecisos. O ano passado fomos para a Madeira. Adorámos e queremos repetir um dia mais tarde, mas reconheço que para a minha filha 7 dias longe de casa e da sopa caseira que ela está habituada foi demais. Nos últimos 2 dias, ela só falava da avó, da casa dela, dos primos e dos brinquedos que não estavam por ali, ao pé.
Em Agosto, ela já terá 3 anos mas não está nas nossas previsões irmos além de Portugal Continental. Ainda ponderamos sul de Espanha, mas estou indecisa. 
Uma semana em Aveiro, na minha Praia de Mira, está praticamente garantida. Os avós vão estar lá e acredito que ela não sentirá tanta falta de casa. 
Mas há a segunda parte das férias: as férias a 3, nós e ela. Estamos a ponderar ir novamente para a Figueira da Foz, mas já não será um destino novo de férias. Vi um aparthotel em Vila Nova de Milfontes e adorei, mas ao que parece para Agosto já está esgotado (e achava eu que estava a pensar nas férias cedo demais...). 
Por isso, estamos a começar a tentar planear as férias mas não está fácil. Noutros tempos, apenas a dois, era tudo bem mais fácil, mas agora reinam as indecisões. 

Por aí há sugestões? 

domingo, 5 de março de 2017

Março, vê se trazes a primavera (sobretudo ao fim de semana e não só quando eu estou a trabalhar)

Hoje, Domingo, esteve daqueles dias em que não apetece sequer tirar o pijama. Lá fora, o céu esteve demasiado cinzento, chuva miúdinha e nada de sol, nada mesmo. Nem um raio passou nestas nuvens espessas. Tempo triste, o de hoje. 
Dizem que vem aí o bom tempo e as temperaturas quase primaveris. Já fui espreitar ao site da meteorologia e para esta zona do país, espera-se uns 18 graus. Afinal não será nada de especial para estes lados, mas só espero que o sol nos acompanhe até ao fim de semana que virá, porque se há tempo que me deixa não muito animada é o tempo como o de hoje. 
Ando a desesperar por dias de primavera. Quem é mãe, sabe do que falo. Quero raios de sol para ir com a minha miúda para o parque!