domingo, 9 de fevereiro de 2014

É o fim do mundo em cuecas.

É uma expressão que eu costumo usar para quando a coisa está preta. E sim, hoje parece mesmo "o fim do mundo em cuecas". 
Eu já de mim sou uma medricas, mas com um tempo assim, dou graças a Deus por não viver sozinha. O vento parece que entra por aqui dentro. Felizmente é só mesmo o som que entra. Ainda há pouco o Apimentado foi ao terraço arrumar o baloiço que lá tínhamos e não voou... porque não calhou.
Mas é nestas alturas que eu imagino como será naquelas casas que não têm condições nenhumas, em que tudo é precário, como é que os sem abrigo resistem a este tempo. 



9 comentários:

Flor Guerreira disse...

Por aqui também estamos assim. Ficamos todo o dia em casa. Só saí, de manhã para comprar pão. Amanhã estou de folga. A MIni mais velha fica em casa por ordem médica. A mais nova fica em casa por decisão da mãe. :)

Coquinhas disse...

Podes crer, coitadinhos :( Se a nós, no nosso quentinho (parece que hoje nada aquece) nos queixamos, não quero imaginar os sem-abrigo :(

Eva Luna disse...

Que tempo terrível :/

♥Cat disse...

É mesmo um tempo assustador!

Hibiscus disse...

Pois também não sei como é que essas pessoas se safam :s

Mimi disse...

Mesmo =/ ... Este tempo é terrivel!!!*********

Leonor disse...

Não consigo perceber como sobrevive um sem abrigo.. Então no Inverno pior.

Pequeniña disse...

Dentro de casa é o que é, nem dá para imaginar o que os sem abrigo passam :/

Moa disse...

Tb costumo usar essa expressão!