terça-feira, 25 de março de 2014

O que fazer para o jantar?



Esta é uma das perguntas que todos os dias, à noite, faço quando vou ao congelador tirar a carne (ou o peixe) para descongelar e fazer para o dia seguinte. Quando uma pessoa vive com os papás, normalmente quem decide é a mãe e uma pessoa limita-se a confecionar e comer o que ela decide. Pelo menos lá em casa era assim. 


Depois uma pessoa casa e passa a ter que fazer a gestão de tudo e mais alguma coisa. E essa sensação é boa. Sermos nós a gerir a nossa casa, é daquelas responsabilidades que o casamento trouxe mas que eu não me importei nada de assumir. Mas isto de decidir o que fazer para o jantar é provavelmente das coisas que menos gosto. 




Sei que há muita gente que ainda tem a ideia de que quando se juntar (ou casar) com a sua cara metade, vai fazer pratos gourmet, surpresas gastronómicas para o outro, mas a realidade não é assim. Uma vez ou outra tudo bem, sobretudo ao fim de semana, quando se tem mais tempo. 


Mas durante a semana, eu, pelo menos, chego tarde a casa e vá lá que tenho um marido em casa que vai adiantando o jantar que estipulamos fazer para aquele dia. Porque se há coisa que não apetece muito depois de um dia de trabalho é ir para as panelas, mas tem de ser. A comidinha não aparece feita do céu. E a verdade é que se eu gosto de massa, por exemplo, não vou fazer massa todos os dias, senão corria-se o risco de enjoar. Há que variar. E ir tendo ideias luminosas de vez em quando [duas cabeças pensam sempre melhor que uma].



p.s. Admiro aquelas pessoas que conseguem fazer uma lista semanal das refeições. Estipulam as refeições para os sete dias seguintes, o que precisam, o que não precisam. Mas cá em casa, é mesmo um dia de cada vez, consoante os apetites dos dois. 



E desse lado, como é que se vão gerindo as refeições lá em casa? 

10 comentários:

Pepper Girl ✝ disse...

Confesso que é algo que me esta a assustar imenso, sempre vivi com a minha mãe e sempre fui eu a cozinhar desde que tenho idade para o fazer, ela compra as coisas e a noite ou ela ou eu decidimos o que fazer para o jantar, mas agora que vou viver com o meu namorado tenho sempre essa duvida, o que irei eu cozinhar? E se ele se enjoar ou não gostar de certos pratos que eu goste? Vai ser uma preocupação a ter todos os dias.

Anónimo disse...

Eu nunca tiro nada de véspera. Só no dia decido. Já pensei fazer os menus semanais mas não consigo...! Não sou assim tão organizada ;)

DiliciousBlush disse...

Odeio essa tarefa de pensar sempre o que tenho de fazer para o jantar...

Carmo disse...

Cá por casa tenta-se programar as refeições, mas a verdade é que há alturas em que não há imaginação para fazer algo diferente, mas eu gosto muito de cozinhar (:

Suricate disse...

Tento a maioria das vezes pensar de um dia para o outro, se já for com a ideia feita (e a carne já estiver descongelada) são sempre pratos "rápidos"...mas sim, é cansativo ter esta "obrigação"

"Mummy o que é hoje o jantar?"
"COMIDA!"grrrrrr!!!

jinhoooooossssss

Sem açucar, se faz favor - disse...

Por aqui é quase o mesmo... mas decidimos todos o que comer =P seja no dia ou até na hora! E confesso... também adorava conseguir destinar refeições sem ter que me preocupar =P

M. disse...

Ainda estou na casa dos papás...mas metódica como sou (em determinados aspectos), desconfio que vou ser das têm uma lista semanal de refeições!!

Giveaway:
http://thatsthe-way.blogspot.pt/2014/03/giveaway-thats-way-mary-kay.html

Hibiscus disse...

Eu ainda tenho a minha mãe a fazer isso por mim mas vejo-a constantemente a queixar-se por não saber o que fazer. A verdade é que isso torna-se uma chatice e provavelmente eu vou tentar fazer a lista das refeições semanais, o que não quer dizer que vá aguentar isso por muito tempo :b

C*inderela disse...

Eu tenho a sorte de fazer apenas almoços, o jantar costuma ser quase sempre a sopinha dos papás.
Dos almoços eu digo sempre a ele "descongela o que te apetecer que eu amanhã faço". Na maior parte das vezes não me apetece nada em especifico logo deixo a decisão nas mãos dele.

Bjokas*

Anónimo disse...

Também detesto ter que pensar no que fazer, porque nunca sei! É complicado querer variar e não saber como... mas pronto lá vai saindo alguma coisa e não se passa fome, haha :)