segunda-feira, 2 de junho de 2014

Dos assuntos que nos fazem pensar.

Sou leitora assídua da revista Notícias Magazine que está nas bancas todos os domingos com o JN. E este domingo o principal artigo da revista era extremamente interessante.

Podem ler mais aqui*


Pôr ou não fotografias dos filhos na rede social? Expor ou não a vida deles, juntamente com a nossa, quando eles não o solicitaram?

Acima de tudo, acho que aqui coloca-se a grande questão de como cada um lida com a exposição que faz de si mesmo neste tipo de redes sociais. E depois a exposição (ou não) dos filhos vem por arrasto.

Falando por experiência própria, posso afirmar que estou na reta final da minha gravidez e ainda não pus uma única foto minha grávida no facebook, por exemplo. Já o fiz aqui, neste blogue, onde a maior parte de vocês não sabe quem eu sou. São realidades distintas para mim.
No Facebook tenho plena noção que há muita gente que vê esta plataforma como uma forma fantástica de saber tudo da vida dos outros. Facebook = Cusquice na grande maioria das situações. 
No dia da Mãe, dia 4 de Maio, coloquei uma fotografia retirada da Internet alusivo ao facto de estar grávida e foi aí que a grande maioria dos meus "amigos" soube da novidade, novidade esta que para os que privam comigo já não era de todo novo. Os meus amigos verdadeiros já sabiam há muito disto. Os meramente "conhecidos" souberam apenas o mês passado.

As pessoas só sabem o que nós queremos que elas saibam da nossa vida. 
Pessoalmente dou muito valor à minha privacidade. Não tenho de dar contas a ninguém, não tenho necessidade de dizer que fui aqui fazer isto ou aquilo, que fui ao restaurante XPTO onde comi uma refeição gourmet espetacular e cuja conta final foi igualmente de topo, não preciso de gritar ao mundo que fui com fulana tal às compras. 

E se sou contra quem faz do Facebook um relatório do seu dia-a-dia? 
Não, não sou. Cada um é como cada qual. Eu ajo assim porque tem a ver comigo, com a minha postura. Mas reconheço que há pessoas que não adoptam esta atitude e desde que estejam de bem consigo mesmas, parabéns, continuem.
Se toda a gente tivesse uma postura como eu em relação ao Facebook, raramente havia notícias recentes na página inicial. Isso é um facto.

Quanto ao tema principal da reportagem do JN, não me estou a ver a publicar fotos da minha S. no facebook em que se veja claramente a cara dela. Vou ser aquela pessoa que quando ela nascer, vai pôr no máximo uma foto com a mão dela, a minha e a do pai.
Uau, que original, pensam vocês. Pois mas que assim seja. De momento não me parece que vá expôr a minha filha nas redes sociais. Mas nunca direi que "desta água não beberei". Um dia posso ter outra postura. Posso. Mas até lá é isto que faz mais sentido para mim.

10 comentários:

disse...

Subscrevo :). Eu também sou daquelas que contribuiria para um facebook às moscas, se toda a gente fosse como eu :).

Suricate disse...

Eu acrescentaria só...se não é para ter ...para que é que se tem lá uma página aberta?!..."eu tenho, mas nem lá vou"...então nem vale a pena, certo?

Quanto ao expor, ou não...não.

Ainda me lembro do dia em que (ainda as fotos eram em rolo...e internet dava os primeiros passos, MorMeu me dizer (quando tivemos a primeira bébé "Acabaram-se as fotos coma menina nuinha na banheira...nunca sabemos quem é o prevertido que faz a reveleção das fotos e o qie pode fazer depois com elas!!!!...").

Miss Brunette disse...

Estou de acordo em tudo!! Prezo igualmente a minha privacidade :)
Beijinho*

Timtim Tim disse...

Como sabes e já o manifestei no meu outro blog, eu ponho fotografias no facebook. Trabalho na área da justiça e sei perfeitamente que basta andarem na rua para quem quer que seja lhes tirar fotografias sem darmos por isso. Seguindo as regras que se falam nesse artigo (que também li), terás um pouco mais de segurança. No blog nunca pus fotografias minhas nem delas. Porque o blogue é público e a minha página do facebook não é (pelo menos na teoria). Mas confesso, quando a minha M. grande nasceu, nem por mail mandava fotos aos amigos. E, se pensar bem, corro o mesmo risco de ser interceptada. Uma vez posta em rede a foto pode ser utilizada. Até o simples facto de a ter guardada no PC e entrar em rede me põe em risco. Basta um hacker qualquer conseguir entrar no meu PC.

Moa disse...

Não exponho a minha filha, as únicas fotos dela que lá tenho são das nossas mãos e outra dela a caminha de costas. Gostei do artigo, obrigada pela partilha.

Miss Purple disse...

Pois, também acho que se deva dar primazia a essa privacidade.
Principalmente quando são bebés. Quem quiser, partiha por mensagem privada ou por telemóvel, portanto, quem tem de ver vê. Quanto muito, é pedir aos papás para ver o bebé.

Miss Purple disse...

Pois, também acho que se deva dar primazia a essa privacidade.
Principalmente quando são bebés. Quem quiser, partiha por mensagem privada ou por telemóvel, portanto, quem tem de ver vê. Quanto muito, é pedir aos papás para ver o bebé.

Hibiscus disse...

Eu também não costumo reportar tudo no facebook e são poucas as coisas da minha vida pessoal que lá ponho. O máximo é mesmo fotografias, simples ou com os amigos ou com o namorado ou assim mas nada que dê pano para mangas :)

Magda E. disse...

Concordo. E tb já me expus a mim própria muito mais, cada vez tenho menos vontade de o fazer. As fotos da minha princesa que acabam online, têm sempre a cara desfocada, ou está de costas, ou coisa do género.

C*inderela disse...

Eu não escrevo nada no facebook, só tenho lá familia e amigos chegados e mesmo assim eles não precisam de saber o que ando ou não a fazer. Fotos só actualizo de ano a ano e é mais com fotos de paisagens, não gosto de ter fotos minhas espalhadas pela internet.
No blogue falo mais abertamente porque sou anónima para a maioria dos meus leitores mas passou a ser mais contido quando meus conhecidos descobriram o meu blogue. No que toca a fotos só coloco paisagens, coisas materiais ou detalhes meus.
No que toca a crianças, não acho piada a fotos onde se revela a cara ou quando estão nús ou semi-nús. Se tenho esses cuidados com as minhas fotos (nada de caras, nem em biquinis - nunca se sabe quem está do outro lado do ecrã!), mais cuidado terei no dia em que for mãe. Pequenos detalhes sim, grandes planos não!

Bjokas*