segunda-feira, 9 de junho de 2014

Há coisas que eu quero acreditar que só podem ser anedota (pior é que não são mesmo)


Li esta notícia no site do Público e confesso que fiquei para lá de chocada.

"Ministro de estado indiano diz que violação “às vezes é certo, outras vezes é errado.
Responsáveis indianos já tinham desvalorizado crime contra duas adolescentes violadas e mortas na semana passada.

Um ministro de um estado indiano fez comentários controversos sobre a violação, numa altura em que a Índia acabou de ver mais um crime chocante, com duas adolescentes violadas por um grupo de homens, mortas e deixadas enforcadas numa árvore.
 (....)
 A cada 21 minutos é feita uma queixa de violação na Índia. Mas a maioria dos crimes nem chega a ser reportada. E os que são, dizem grupos de defesa de direitos humanos, não chegam por vezes a ser investigados. Quem faz queixa arrisca retaliações: a mãe de uma rapariga violada foi recentemente agredida por cinco familiares do violador, e estava num hospital em estado crítico, com fracturas múltiplas e ferimentos internos, depois de se ter recusado a retirar a queixa." 

podem ler toda a notícia aqui*


E isto faz-me pensar que a grande maioria de nós é uma sortuda por viver no mundo ocidental, onde o sistema de justiça pode estar ainda longe da perfeição mas onde tal situação é impensável (quero eu pensar que sim). Nunca nenhum dirigente político ousaria dizer tal coisa. 
Desde quando é que uma violação "é certa" e merecida?

É nestes locais, como a Índia e outros, que ser-se mulher é provavelmente o grande desafio da vida destas pessoas. Nascem marcadas desde logo pela inferioridade e depois é um dia de cada vez. Para mim chega a ser medonho pensar como é a vida destas crianças, adolescentes e mulheres que não escolheram nascer ali. 
E estamos nós em 2014? 
Sim, parece que sim. Mas há tanto, tanto, tanto para fazer.


11 comentários:

estrela disse...

existem coisas que parece ser de outros mundos, como é que é possível existir coisas destas num país e acharem normal...não sei onde vamos parar!!!

Estrelinha Sónia disse...

Só de ler fico mal-disposta :(

Hibiscus disse...

Não consigo entender.. Juro que não consigo. Como é que é possível haver gente tão atrasada num mundo onde cada vez mais a evolução está a olhos vistos. Mas será que só se evolui na tecnologia ? Essa gente pensa sequer ? Como é que é possível isto ser permitido .. É demais para mim.

Moa disse...

até me dá vontade de vomitar!

C*inderela disse...

Nem queiras saber! Em certas culturas a mulher é tratada abaixo de cão. A lei nesses paises é literalmente a lei do homem!

Miss S. disse...

Cada vez que leio algo assim até me dá um aperto no coração! Dou bem graças por, mal por mal, estar em Portugal!

Miss Purple disse...

Isso dá-me cá uns nervos... cada ideia mais parva naquelas cabeças!
Realmente nascer melhor nesses sítios é cá um desafio, porra!

Princesa Jasmine disse...

Apenas vou dizer. Cambada de animais.

Princesa Jasmine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Boboquinha disse...

Nunca me interessei por conhecer a Índia como turista porque nunca senti que a imagem vendida correspondesse à realidade. Não importa quantos Taj Mahal lá tenham. Sempre me soube incapaz de estar no mesmo local onde tantos sofrem injustiças de uma brutalidade que raia a ignorância e o retrocesso.

http://eueocosmos.blogspot.pt

Espreita no blog que tem uns tantos posts sobre o assunto

Boboquinha disse...

A maior atrocidade é quando em locais mais desenvolvidos haja quem comece a abrir a boca para repetir as mesmas atrocidades.

No Brasil, por exemplo (outro país que nunca me atraiu porque emana violência gratuita por nada) saiu recentemente uma notícia que num estudo umas tantas pessoas acreditavam que mulher que saísse à rua com mini saia e decotes estava a pedir para ser estuprada (violada). WTF???

Anda tudo doido?
Por isso é que sempre irei defender: educação faz muita falta a um povo. Quanto mais se estudar menos parvoíces como esta, esperemos, pode sair da boca de alguém.