terça-feira, 30 de setembro de 2014

Mais vale prevenir que remediar.

Ter um filho é sinónimo de uma carteira sempre aberta. 
É dinheiro gasto para montar o quartinho, em roupa (e ainda bem que tive a sorte de herdar alguma de uma prima), em fraldas, artigos de higiene, pó para fazer o leite e a lista poderia continuar bem longa. 
E depois... acrescenta-se a isto as vacinas não comparticipadas pelo sistema nacional de saúde. Feitas as contas, essas vacinas (no primeiro ano de vida da Pimentinha) vão ficar por uns 800 euros (repartidos claro durante o ano). Mas eu cá prefiro perder o amor a esse dinheiro e assegurar algumas coisas que, a meu ver, são mais que básicas, como é o caso da saúde dela.
Já sei que as vacinas não garantem 100% de eficácia contra todos os vírus e bactérias que podem atingir os bebés, mas como se costuma dizer "mais vale prevenir que remediar".

14 comentários:

Miss Purple disse...

Ora nem mais. Também sou dessa opinião.
E sem dúvida que quando se tem filhos, é preciso ter a carteira bem aberta!

São Gémeos disse...

Sem dúvida! Só a vacina nova, a bexaro para os meus dois piratas fica uma conta daquelas, vão levar a vacina, com algum esforço extra. Fico a pensar e aquelas pessoas que não podem mesmo, que depois de pagar a renda e alimentação não sobra nada? Não era tão bom que fizessem parte do plano nacional de vacinação! Mas o nosso sistema de saúde ainda tem muita coisa para melhorar.

Magda E. disse...

só te digo uma coisa, se elas não fazem parte do plano nacional é por algum motivo (e não o mero económico) e isto dito por uma enfermeira...

Catarina disse...

Olha eu não sou mãe, mas também concordo contigo! :)
Um beijinho*

Uba disse...

Pela saúde, tudo! ;)

cinquentinha disse...

É mesmo isso!

estrela disse...

concordo contigo eu tenho 2 filhos e se há vacina que ajuda em alguma coisa é de utilizar!!!

Bella Condessa disse...

Mas acho uma fase tão linda que se passa na vida!! Não sou mãe, mas babo-me toda com essas coisas!

CS disse...

Eu tive a sorte de que o plano de saúde de vacinas é mais alargado nos Açores. Além disso, por ela estar em casa decidi não dar determinadas vacinas nem a pediatra aconselhou.
Agora partilho da opinião que primeiro está a saúde. Nunca poupei em médicos.

A Tulipa Azul disse...

É verdade, é por isso que maioria dos casais tem apenas um.:)I

C*inderela disse...

Com a saúde não se brinca, se é recomendado e se podem, é de dar.

Hibiscus disse...

Acho que fazes muito bem em prevenir. É muito dinheiro mas com a saude não se brinca.

Portuguesinha disse...

Eu fui vacinada com tudo a que tive "direito". Cresci saudável. Em adulta as vacinas pararam, a não ser a do tétano, de 10 em 10 anos. Não tomo medicamentos nem para a gripe, nem suplementos de nada... e fiquei um caus! :D

Acho que a vacinação tem relevância e isso se pode notar porque nos EUA existiu uma onda "contra a vacinação" e essas áreas mais abrangidas foram as que apresentaram mais doenças antigamente já quase erradicadas.

Portuguesinha disse...

Magda, explique-se.
Eu sou muito desfavorável a medicação e olho com alguma resistência para qualquer substância que venha com a designação de "milagre" para curar doenças e afins... mas com o tempo comecei a mudar de opinião, pois sinto que a ausência desses hábitos podem me ter prejudicado. Sei que tudo é um negócio e nestes tempos de cinto apertado a saúde «perde» aliados. Mas também sei que a ciência todos os dias descobre que fez "ups!", ou seja, por vezes acredita-se que algo só faz bem e faz, mas também pode fazer mal. No caso da vacinação infantil que ficou de fora do plano Nacional de Saúde, o que quer dizer?

E já agora, estava a pensar, pela primeira vez, ir tomar a vacina contra a gripe. Tenho de me apressar porque acho que depois de Outubro já não faz diferença. Devo dizer-lhe que o meu médico de família nunca se mostrou muito entusiasta em me mandar tomar. Eu é que sinto que o meu organismo não é mais o mesmo e a prevenção seria uma atitude correcta. Contudo, sei que as vacinas mudam todos os anos e não passam de virus manipulados para prevenir os virus que se acha que se podem apanhar (sendo estes uma panóplia deles). Desculpem lá este testamento mas sou muito curiosa sobre estes temas.