quinta-feira, 23 de abril de 2015

Em que mundo vivemos nós?

Hoje saiu esta notícia a público. 

A mãe de um aluno de sete anos da EB1 de Parada, em Guilhabreu, Vila do Conde, acusa a escola de ter recusado dar uma refeição ao filho por ter-se esquecido de marcar antes.
Segundo Vilma Ribeiro contou ao «Jornal de Notícias», na passada sexta-feira, recebeu um telefonema a avisar que não tinha feito a marcação antecipada pela Internet.   
«Liguei para a Câmara e disseram-me que não podiam fazer nada. Liguei para a cantina a pedir por favor para lhe darem de comer, que pagava mais, se fosse preciso. Disseram-me que não podiam abrir exceções».
Vilma saiu então do trabalho e foi buscar o filho à escola.  
 «Só chorava, porque lhe disseram: vais ficar sem almoço, porque a tua mãe não fez a marcação. Fartou-se de vomitar (…) O que fizeram ao meu filho é desumano! Não darem de comer a uma criança de sete anos porque os pais esqueceram-se de tirar a senha?»



Ora bem, vamos lá ver uma coisa: os filhos não têm culpa da irresponsabilidade dos pais.  É uma coisa que eu já aprendi ao lomgo destes anos a trabalhar com miúdos. 

No meu local de trabalho, ainda nestas férias da Páscoa, uma mãe levou o filho às 13h, para almoçar, quando ela sabe perfeitamente que o almoço é servido por volta das 12h15m. 
Como o D. não tinha chegado e não tinha havido qualquer telefonema, achamos nós que ele nesse dia não viria. Por acaso, sobrou comida. E o miúdo acabou por comer, mesmo fora de horas. Senão lá teríamos nós de arranjar comida ao improviso para aquele miúdo.

O meu local de trabalho encerra às 19h30. Já aconteceu diversas vezes, serem quase 20h e ainda estar aberto porque ainda não foram buscar X ou Y. Liga-se para os pais, ao que eles dizem que se esqueceram, porque o pai achava que era a mãe a ir buscá-lo(a) e a mãe achava que isso seria tarefa do pai.

Eu percebo que são situações que acontecem. 
Percebo que numa escola têm de saber ao certo quantos meninos vão almoçar para providenciar os almoços necessários. Mas mais uma vez digo: são os filhos que acabam por levar com a culpa da irresponsabilidade dos pais. São eles que ouvem e acabam por interiorizar o "abandono". 

Neste caso, na notícia de hoje, se lá trabalhasse, diria que alguma coisa se arranjaria para o miúdo não ficar sem comer. Mas a verdade é que dizem que esta mãe já se esqueceu algumas vezes de marcar a senha para o almoço. E acredito que esta situação se fosse repetir no tempo mais vezes. Acredito que esta mãe agora vai ter mais responsabilidade e não se vai esquecer de marcar as senhas para o almoço do filho. 

E continuo a acreditar que os filhos são o espelho dos pais que têm. Há muitas condicionantes exteriores, é certo. Mas pais sem responsabilidade criam filhos sem responsabilidade.

12 comentários:

Patrícia disse...

Bom dia! Realmente concordo com o ponto de vista que os pais é que ter noção de que realmente os filhos é que sofrem as consequências às suas irresponsabilidades. Mas também custa me ver que neste país existe alguém que se recusa a dar comida a uma criança por razões como essas...isto é realmente desumano e triste!

espiguinha disse...

A criança é que sofre...

Anónimo disse...

E todos são obrigados a ter internet para comprar senhas?! Se se prende só com a questão burocrática não acho jeito nenhum! Estamos a falar de uma criança!! Porra! Eu pago mensalmente os almoços do meu filho e não tenho de ir à internet!! Venha o que vier, a criança não tem culpa! No máximo depois reunião com a mãe caso a questão fosse recorrente e alertavam-na! Agora fazerem isto pq faltou uma senha, ridículo!!!

Raquel

FME disse...

É uma faca de dois gumes este assunto. Se não acho bem deixarem o miúdo sem comer, também acho que a mãe dele devia ser mais responsável. Eu ainda não sou mãe e acho que não devo falar muito porque sei lá como vou ser quando o for, mas mesmo assim atrevo-me a dizer o seguinte: hoje em dias os pais nem sabem como os filhos foram criados porque alguém acaba por os criar por eles. Professores, educadores, auxiliares e afins, é que educam os meninos. Claro que quando corre bem e eles se tornam jovens sensatos e tal os pais é que têm o orgulho, mas foi trabalho deles? E claro que não quero generalizar, mas pronto no caso desse menino da notícia deve ser algo deste género...

FME disse...

É uma faca de dois gumes este assunto. Se não acho bem deixarem o miúdo sem comer, também acho que a mãe dele devia ser mais responsável. Eu ainda não sou mãe e acho que não devo falar muito porque sei lá como vou ser quando o for, mas mesmo assim atrevo-me a dizer o seguinte: hoje em dias os pais nem sabem como os filhos foram criados porque alguém acaba por os criar por eles. Professores, educadores, auxiliares e afins, é que educam os meninos. Claro que quando corre bem e eles se tornam jovens sensatos e tal os pais é que têm o orgulho, mas foi trabalho deles? E claro que não quero generalizar, mas pronto no caso desse menino da notícia deve ser algo deste género...

Magda E. disse...

Vou-te dizer uma coisa. a semana passada passou-se comigo uma parecida. No infantário agr pediram-nos que levássemos fruta às 5º e 6º feira. Na primeira semana, a minha filha levou fruta a mais. Na segunda semana, chegou a 5º feira e para mim era 4ª por isso não levei. Esqueci-me sim, chamem-me irresponsável, mas que atire a 1ª pedra quem nunca se esqueceu de nada. A minha filha nesse dia, tb não lanchou de manhã, ficou a olhar para os outros meninos porque nem uma porcaria de uma bolacha puderam dar à miúda. Uma criança de 3 anos! Ainda por cima, numa instituição como a CRUZ VERMELHA! Sim, nós pagamos prestações nada baratas todos os meses, ainda nos pedem para levar fruta e são capazes de negar um lanche a uma criança. A CRUZ VERMELHA PORTUGUESA!!! E a treta que é a administração que as proíbe não me convenceu d'um todo. Continuo a levar fruta a mais, a pensar nos meninos que por algum motivo os pais se esqueçam ou não possam levar, pois que eu sei o que me custou ouvir da minha filha que não lanchou porque não havia fruta para ela!

Nany disse...

Já me aconteceu o miudo não levar lanche uma vez e depois disseram-me que andavam a pedir bolachinhas aos funcionários, que as trouxeram de casa. Saltou-me a tampa: e então ao anos em que todos os meses contribuí para sala do miudo com bolachas e cereais, e que o faço agora para a sala dos manos?
Calaram-se, na altura e até hoje.
Bjs

actividadesdevidadiaria disse...

Concordo perfeitamente com o facto dos filhos não poderem ser responsabilizados pela irresponsabilidade dos pais; e também entendo que algumas pessoas são demasiado cumpridoras das normas, contra até alguma humanidade e boa vontade.

Mas sendo advogado do diabo, há a seguinte expressão: os filhos pagam pelos erros dos pais! E, não estando a tirar (ou a por) culpas em ninguém, até que ponto os funcionários da cantina não reagiram contra os actos (ou falta deles) desta mãe?!

Não sei se haverá culpados, mas houve uma vítima...a criança!

estrela disse...

mas que coisas mais parva, realmente!!!!

Teresa Silva disse...

Deixar a criança sem comer não é solução, a criança não tem culpa do esquecimento da mãe, porém concordo que uma excepção hoje fosse uma rotina amanhã para outros pais, porém deveria existir uma alternativa para casos destes...

Bjxxx

Filomena Silva disse...

Deixar uma criança sem comer não é solução.
Aconteceu-me este ano pela primeira vez a minha filha não ter senha, está no 6º ano, sempre na mesma escola.
Estava sem net em casa (maldita MEO) e ela levou dinheiro e carregou para a semana na papelaria. A funcionária (que tb é humana) esqueceu-se de carregar a 6ªfeira. A L. liga-me a chorar pois mandaram-na embora do refeitório sem almoço e com dinheiro no cartão.
Eu não podia deslocar-me à escola, pedi para ela passar a uma funcionária que prontamente resolveu a questão com o pessoal do refeitório.
Não é norma da escola fazer isto, muito menos num primeiro esquecimento, fiquei bastante aborrecida.
Não se deixam crianças sem comer, chamam-se os pais à razão nem que seja como fazia a prof. do meu filho, nas reuniões à frente dos outros pais para ver se a vergonha fazia efeito.

Filomena Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.