terça-feira, 20 de outubro de 2015

Qual a melhor punição para estes monstros?


"Bebé e menina de cinco anos violadas na Índia. 
A bebé foi raptada na noite de sexta-feira por dois homens durante uma cerimónia religiosa em Nangloi, a oeste da capital Nova Deli, e violada antes de ser abandonada num parque perto de casa, explicou a polícia e familiares da bebé.
O responsável da polícia para a zona oeste de Nova Deli, Pushpendra Kumar, precisou que a bebé foi encontrada a sangrar abundantemente algumas horas depois de ter desaparecido e que exames médicos provaram que foi violada pelo menos uma vez.
(...)Em relação à menina de cinco anos, a polícia indicou que foi violada em grupo por três homens na zona de Anand Vihar a leste de Nova Deli na sexta-feira à noite, depois de ter sido atraída na casa de um vizinho."
 
Pensei duas vezes antes de fazer este post. Há coisas que preferíamos não ler. Mas a verdade é que acontecem. Estamos em 2015 e se este tipo de notícias já me enjoavam antes de ser mãe, agora pior ainda. Há coisas que eu não quero imaginar que aconteçam. Não consigo imaginar o sofrimento das famílias e sobretudo das crianças em causa. E neste caso, sou a favor das penas de morte. Sou. Mas devia de ser mortes bem lentas para estes anormais saberem o que é sofrer.

6 comentários:

♥Cat disse...

Estou sem palavras...

Bella Condessa disse...

Fiquei com um nó no estômago credo, minhas ricas meninas tadinhas!!

Nany disse...

Uma morte lenta como diz a minha mãe, daquelas bem dolorosas, que demorem vários anos a acontecer. Esta é a receita que ela dá sempre e eu ao ler isto só posso concordar com ela.
Bjs

Pips disse...

Não existem palavras...

Portuguesinha disse...

A bebé nunca vai saber... Quero dizer, eu acho que sempre se sabe, algo se carrega... Mas a menina de 4 anos... Essa saberá sempre!

Na Índia não existe respeito pela mulher. A mulher não é nada. Não é sequer um animal. E por isso não importa a idade que ela tem. Não importa se é criança, ou bebé. Lá não existe essa noção e humanidade. Só existe maxismo. E HOMEM pode tudo, porque tudo o que ele sente, cada impulso selvagem, violento e homicida a lei protege, a população aceita, porque o homem é homem e tudo pode.

JAMAIS IRIA À ÍNDIA!
Não compactuo com sociedades tão vis.

Magda E. disse...

como diz o meu cunhado, era besuntá-los de mel e atá-los a uma árvore no meio do mato.