sábado, 20 de fevereiro de 2016

Às vezes, o melhor é mudar de canal

Nunca consegui ser imune a histórias semelhantes às duas crianças e àquela mãe que as atirou ao Rio Tejo. Histórias deste género sempre me embrulharam o estômago, mas devo dizer que depois de ser mãe, a coisa piorou. Uma das crianças tinha a mesma idade da minha Pimentinha. Ontem foi o funeral. Nem imagino o sofrimento pelo qual passam estas (e outras) crianças. Era suposto nascerem e serem crianças felizes, brincarem, fazerem asneiras como todas as outras crianças. Mas não. Não tiveram esse destino. E o que leva uma mãe a fazer isto? Talvez a explicação não seja tão óbvia quanto aparentemente parece. Há pessoas que entram em loucura total. Mas infelizmente, há crianças a pagar por isso. 


3 comentários:

Minnie Me disse...

Eu ainda não vi a notícia com olhos de ver porque estas coisas me revoltam!

esperto que nem um alho disse...

Triste é sabermos que as instituições voltaram a falhar e que os (i)responsáveis, provavelmente, voltam a ficar impunes e esquecidos até uma próxima desgraça. :/

Maria do Mundo disse...

Esta semana foi trágica para as crianças.