quinta-feira, 10 de março de 2016

Passar de 1 para 3?

Ainda no outro dia, estávamos nós no shopping e vimos um casal (penso que eram mais novos que nós) com um filho que deveria ter uns 3 anos. E depois percebemos que tinham um bi-carrinho (nome inventado por mim) com 2 gémeos com poucos meses. 
Assim de repente, eles passaram de 1 filho para 3. 
E eu sempre que vejo cenas semelhantes a estas, penso como seria se isso acontecesse comigo. Andamos a pensar se daremos um irmão à Pimentinha ou não. E se de repente fossemos avante com uma nova gravidez e nos saísse 2 em 1 na rifa, era coisa para eu panicar.
Se fossem gémeos numa primeira gravidez, a coisa ficava logo resolvida. Assim numa segunda gravidez, era coisa para eu ter de vir para casa e dedicar-me a ser mãe a tempo inteiro. E fora, todas as outras mudanças... casa nova, carro novo, etc.... 
Mas vá, não vamos pensar que há historial de gémeos na família da minha mãe e do meu pai. Vamos pensar que talvez fosse muito bom para a Pimentinha ter um(a) mano(a). 

5 comentários:

Gorduchita disse...

Quando vejo casos desses também me ponho a imaginar...
Mas eu não estou a pensar dar manos à minha pequenina por isso, não há grande risco!

CS disse...

Um conselho: Se por acaso pensares dar um mano à tua pequenina, não leves muito tempo. A vontade vai-se perdendo à medida que eles vão crescendo. Se não tiverem nos vossos planos, aí não há problema.
Vejo pela maioria que tanto mais tempo passa menos conseguem tomar esse passo. Bom é arriscar (se essa for a vontade).
No meu caso, esperei os 2 anos da cesariana e depois fui logo para o segundo. Nada arrependida. Dá trabalho mas é tão bom, para nós e para eles. Ter apenas um filho é demasiado exigente para todos. As expetativas todas num só, as exigências, o retorno... minha opinião, of course.
Na verdade, penso tantas vezes em ir ao terceiro... mas já não devo ir por várias razões: aí sim carro novo, casa nova talvez (o quarto dá bem para 3), a minha idade (a fazer 42), o fato de ficar o pai em casa a tomar conta deles (a mais velha com 4, o segundo com 1 ano e ainda em casa), as viagens, estudos, roupas, alimentação e médicos a triplicar... se acontecesse ficava feliz. Fazer por isso é já preciso alguma coragem.

VerdezOlhos disse...

Concordo com o que já foi dito acima pela CS. Não sou mãe nem sei se algum dia serei. Na minha geração familiar não há gémeos, nem na dos meus pais mas na dos meus avós já há. Ou seja, a probabilidade de eu ou algum dos meus primos ter gémeos até é alta. Se fosse mãe sinceramente adorava ter logo gémeos, é como dizes, ficava arrumado, se não tivesse, nunca gostaria de ter só um filho e tentaria segunda vez mas não com muita diferença temporal porque há muita coisa que se aproveita de um para o outro e nós mesmas já não nos desabituámos muito. Um irmão é a melhor "prenda" que podemos ter e é para a vida inteira, uma relação de amor como não há igual!
Beijinhos

Moa disse...

Concordo com a CS também! 3 aninhos é uma boa diferença, digo eu que ainda não sei bem o que aí vem! Mas sei que se esperasse muito tempo tinha perdido a coragem...

ML disse...

Mais uma que achou por bem ter dois com idades próximas e resolver o assunto de uma vez. 2 anos e meio de diferença certos! O que eu penso disto? um caos! Um valente caos que anda cá por casa, principalmente porque o mais velho foi este ano pela primeira vez para a escolinha e passa as semanas doente! No entanto é tão bom vê-los juntos mas tão bom! :)