domingo, 16 de outubro de 2016

Gostamos muito dos nossos filhos. Mas sabe bem por vezes ter uma refeição num restaurante sem pandas, bonecos e afins.

Há muitas alturas em que tenho saudades de sair à noite, de ir ao cinema, de aproveitar para conhecer este ou aquele sítio giro que abriu recentemente.
Há muitas alturas em que penso que antes de ser mãe, devia ter saído mais. Devia ter ido mais ao cinema. Devia ter feito mais escapadinhas de fim de semana. 
Mas a vida mudou. E o tempo não volta atrás.

Há que reconhecer que uma filha muda muito a vida de uma casal. Se ela pode ir connosco aqui ou acolá? Claro que pode. Mas às vezes sinto falta de estar só a dois, de namorar, de ir passear de mão dada. E não me sinto pior mãe por isso.

E porque não o faço mais vezes?
Porque sei que não posso contar com os meus pai para ficarem com a minha filha. Nunca se mostraram disponíveis para o fazer até aqui, seja por uma hora ou por uma tarde. 
Por isso conto apenas com a minha sogra, que já fica com ela de segunda a sexta 11 horas por dia. E é por isso que me custa sobrecarregá-la ainda mais, uma vez entre outra. Felizmente, a minha sogra é das melhores pessoas do mundo e nunca diz que não. Este sábado pedimos para ela ficar com a Pimentinha um bocadinho à noite. Fomos jantar aqui, experimentámos um restaurante cuja especialidade é fondue, na Foz do Porto. E apesar da chuva que caía, como se fosse inverno, soube-me pela vida aquele bocadinho. 
Às vezes é preciso largar o papel de mãe. Por mais que gostemos das nossas crias, a verdade é que não deixamos os outros papéis de lado.  


12 comentários:

Maria do Mundo disse...

Entendo-te muito bem! Eu vivo só aqui com elas e o meu marido. Quando os meus pais vêm cá passar uma temporada é ver-nos arejar!

estrela disse...

é isso mesmo e somos mais felizes quando temos tbm os nossos momentos!
faz-nos muito bem!

Bailarina disse...

Não podia concordar mais! Um beijo e boas saídas sem filhos

Moa disse...

Agora revi-me no teu texto. Os meus pais nunca se oferecem para ficar com elas, tenho de ser eu a pedir. A minha mãe está a tomar conta das duas enquanto eu trabalho e o marido não está, mas isso não me deixa muito confortável, porque não a vejo muito entusiasmada. A minha sogra é muito mais prestável e as vezes que ficamos sozinhos tenho de lhe agradecer a ela, mas são cada vez mais raros...porque o meu cunhado divorciou-se e ela agora só quer saber da minha sobrinha. Se já fazia diferença entre as netas agora é uma coisa por demais, que me anda mesmo a tirar do sério. As minhas filhas não têm culpa do divórcio dos tios...aliás, divórcio que já aconteceu há quase dois anos!!!!!!Desculpa lá o desabafo, hoje estou para isto

Maruldinha Maruldinha disse...

Você não é a unica se sentir assim, e na verdade é difícil dar o primeiro passo, fazer o primeiro passeio, depois se acostuma, porque você volta desses passeios com as baterias recarregadas e com a certeza cada vez maior de que tudo vale a pena não é mesmo? Bjucas

Dina disse...

Concordo totalmente. Infelizmente não tenho avós a quem recorrer...

Um Mundo a Três disse...

Sair a dois é tao importante... Felizmente os avos deste lado sao muito prestáveis. Por eles ja me tinham raptado os gémeos. Eu é que tenho que por travao e dizer que é muito cedo para isso.

Estudante disse...

Eu percebo completamente que te sintas assim :) lá por seres mãe, não deixaste de ser mulher, de ter outras vontades, de ter interesses... ;)

ML disse...

O apoio familiar é super importante. Eu ando como tu, cheia de saudades dessas saídas sem filhos, sem fraldas, sem pandas! Por cá é a minha mãe que fica com os dois durante a semana e também me custa pedir "horas extra" com eles porque sei bem o quanto é cansativo... As vezes sinto-me perdida nesta gestão porque acho que andamos mesmo a precisar de sair a dois...

Dona de Casa disse...

Como te entendo. Ir ao cinema é sinónimo de desenhos animados (o último filme que vimos foi o Cegonhas e antes disso vimos A Idade fo Gelo). Os meus pais não vivem perto e a Mais Nova fica sofrega pelos pais qd tem de lá ficar. Mas é assim a vida, é nas alturas em que se consegue um bocadinho a dois que se torna tudo mais especial. E que bom que aproveitaram!!

AMOR XXS disse...

Por aqui é ao contrário, as avós quase que nos pagam para ficarem com ele! Normalmente só pedimos quando o programa inclui cinemas ou saídas mais tardias, todo o resto gostamos de ir a três.

MSPE disse...

pois, eu não tenho praticamente quem me fique com os miúdos. só eu e ele é uma coisa raríssima. fico tão irritada pelas pessoas que têm com quem deixar os miúdos e mm assim estão sempre a reclamar.