terça-feira, 8 de novembro de 2016

Se eu fosse americana, em quem podia confiar o meu voto? Em nenhum deles.

Se eu fosse americana, estaria muito desiludida por ter dois candidatos a presidente do país que não inspiram a mínima confiança, na minha humilde perspetiva. 

Se por um lado, nem consigo perceber como chega Donald Trump a uma fase final de eleições, por outro, olho para Hillary e algo nela me soa a falso. 

Depois de todo o escândalo sexual em que o marido estive envolvido, sinceramente, olho para ela e acho que só se aguentou ao lado do marido por conveniência. Aquele casal soa-me mesmo muito a falso. É o estar junto porque há muitos interesses que assim o justificam. E já para não falar na história dos e-mails de Hillary.

Quanto a Trump, bem, a imagem que eu tenho dele é a de porco. E a esposa, parece uma Barbie de porcelana. Não tenho muitas palavras para o caracterizar. Se ele for o futuro presidente dos EUA, arrisco a dizer que nunca os EUA estiveram tão mal representados.

Um não é melhor do que o outro, mas venha o diabo e escolha a Hillary. 
Menos mal para o mundo. Ou talvez não. [A ver vamos].


Adenda a este post: quando o escrevi, estava longe de imaginar que o Donald ia ganhar. Foi o choque do dia, logo pela manhã, ver isto na televisão. Ainda me custa a acreditar. 


1 comentário:

Moa disse...

penso o mesmo, nem um nem outro.venha o diabo e escolha.