segunda-feira, 14 de maio de 2018

Era bom que o palavriado inapropriado fosse punido.

Foi com muita alegria que vi o meu clube de coração novamente campeão. Lembro-me perfeitamente que na minha adolescência, os meus maiores ídolos não eram os cantores da moda da altura: eram sim, os jogadores do FCP. Tinha uma grande paixoneta por um e eram eles que me deixavam a suspirar quando tinha uns 15 anos. 

Mas nesta festa toda, houve algo que me entristeceu: já tinha sentido isso no outro fim de semana, quando se sagraram campeões e no passado sábado, voltei a sentir quando via em direto a festa dos jogadores nos Aliados: foi com muita tristeza que vi alguns jogadores a dizerem asneiras, quando lhes foi pedido um comentário sobre o facto de terem sido campeões, antes de desfilarem naquela passadeira enorme que estava em frente à Câmara do Porto. 

Não lhes fica bem e acima de tudo, todos eles deviam de pensar que são um exemplo para os miúdos mais novos. Todos nós dizemos asneiras, uns mais que outros. Mas somos adultos e é suposto sabermos o que devemos (ou não) dizer. 

Por experiência própria, e trabalhando com miúdos diariamente, sei que eles olham para os jogadores dos grandes clubes como exemplos a seguir. E certas palavras não são um exemplo para ninguém. 
No verão, quando dinamizo atividades de férias no meu local de trabalho, muitas vezes tenho de lhes pôr um sério travão quando eles estão a jogar futebol, precisamente porque volta e meia lhes sai um caral** ou um fod**** ou um filho da p****.
Não o posso permitir porque estou ali e ouço. Porque sou responsável por eles e porque tenho ali miúdos com 6, 8, 10 ou 15 anos. Os de 15 anos não podem achar que dizer asneiras é normal, nem os de 6 podem achar o mesmo.
E chateio-me a sério com eles por causa dos palavrões. Um dia, um dos miúdos disse-me "oh stora, os jogadores também dizem asneiras quando estão a jogar, isto é a coisa mais normal do mundo".

Pois, mas para mim, não é a coisa mais normal do mundo. E foi com muita pena que vi alguns jogadores do FCP a darem o péssimo exemplo, aquele que eu tento que os meus miúdos não sigam. O pior disto tudo? É que não são só os jogadores do FCP, isto também se estende a jogadores de outros clubes. 



5 comentários:

C. disse...

Em casa dos meus pais sempre fomos ensinados que não se diz asneiras por isso compreendo perfeitamente pois a minha mãe passou o mesmo XD Nós somos do norte onde um palavrão é usado como uma vírgula.

Beijinhos,
O meu reino da noite ~ facebook ~ bloglovin'

Ellie disse...

Infelizmente, não podemos "mandar" nos outros. Resta-nos ensinar e explicar aos nossos pequenos que há palavras que não podem nem devem ser ditas, porque são muito feias. O meu já ouve tantas lá na escola ditas pelos colegas, que volta e meia sai-lhe um palavrão. Eu lá o chamo a atenção, mas... Acho que não vou conseguir controlar tudo.

Sonhadora disse...

É muito difícil controlar o que os nossos filhos ouvem. Eu fico chocada quando são os próprios pais a dizerem asneiras em frente aos filhos, a falarem com eles com asneiras pelo meio. E, sim, as celebridades deveriam ser um bom exemplo ...

Ps. Tens um desafio lá no blog se quiseres participar.

Beijinhos.

Green disse...

Infelizmente tens toda a razão e infelizmente é cada vez mais recorrentes os adolescentes e até mesmo crianças dizer este tipo de coisas, mesmo sendo alertados para não o fazer. A nossa sociedade andar a ficar cada vez pior...

Xica Maria disse...

Tens toda a razão, é mesmo um péssimo exemplo...
Conheço meninos que falam mal à custa do futebol.